Suplício de Uma Alma (1956) de Fritz Lang

Suplício de Uma Alma (1956) de Fritz Lang

A fabulação parte de vários lados, todos tentando reescrever o real. Partindo do ponto que já sabemos a verdade, o mistério deixa de ser o mote do suspense dando lugar para os possíveis riscos do futuro impreciso por suas camadas de mentira. O plot twist é muito simples, funciona com um estalar de dedos de Lang. Focamos tanto nas invenções feitas pelos personagens que esquecemos o real inicial (puro) – “puro” – e o mistério que de fato importa; o que não foi revelado: quem matou a dançarina? 

Descobrimos que o real apresentado já havia sido reescrito antes da apresentação.

por Gabriel Linhares Falcão

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s