Favoritos de 2019

A Portuguesa de Rita Azevedo Gomes

Pela primeira vez faço uma única lista de fim de ano com longas e curtas, algo que já planejava fazer há algum tempo. 

O critério é: apenas filmes lançados mundialmente em 2019 (circuito, festivais, streaming, etc.), porém, com alguns deslizes. Filmes como a A Portuguesa e A Visão de Tondal foram exibidos uma vez em 2018 (Festival Internacional de Cine de Mar del Plata e MUTA Festival Internacional de Apropiación Audiovisual Lima) e em 2019 circularam em diversos festivais (incluindo Berlinale e IFFR). Acho que esses são os únicos casos. 

O ranking é o que menos importa.

Comentei os 35 filmes que ocuparam as primeiras posições. Alguns textos que escrevi ao longo do ano sobre esses filmes podem ser encontrados aqui no blog, na aba “2019”, e comentei alguns no Letterboxd.

Esta lista continuará a ser atualizada no Letterboxd (https://letterboxd.com/fuzilfalcao/list/favoritos-de-2019/) à medida que eu for vendo novos filmes de 2019. Não atualizarei este post.

Um ótimo 2020 a todos.

——————————————————————————————–

80- Ham on Rye de Tyler Taormina

Ham on Rye de Tyler Taormina

79- Adeus às Coisas de Ian Schuler

Adeus às Coisas de Ian Schuler

78- (tourism studies) de Joshua Gen Solondz

(tourism studies) de Joshua Gen Solondz

77- Ivana cea Groaznica de Ivana Mladenović

Ivana cea Groaznica de Ivana Mladenović

76- Krabi, 2562 de Anocha Suwichakornpong e Ben Rivers

Krabi, 2562 de Anocha Suwichakornpong e Ben Rivers

75- Anima de Paul Thomas Anderson

Anima de Paul Thomas Anderson

74- Bacurau de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho

Bacurau de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho

73- In Dog Years de Sophy Romvari

In Dog Years de Sophy Romvari

72- Black Bus Stop de Claudrena Harold e Kevin Jerome Everson

Black Bus Stop de Claudrena Harold e Kevin Jerome Everson

71- Lore de Sky Hopinka

Lore de Sky Hopinka

70- Chasing Dream de Johnnie To

Chasing Dream de Johnnie To

69- Past Perfect de Jorge Jacome

Past Perfect de Jorge Jacome

68- Instruções Para Fazer um Filme de Nazli Dinçel 

Instructions on How to Make a Film de Nazli Dinçel

67- Caolas na Hearadh de Joshua Bonnetta

Caolas na Hearadh de Joshua Bonnetta

66- log 0 de Isiah Medina

log 0 de Isiah Medina

65- Technoboss de João Nicolau 

Technoboss de João Nicolau

64- O Imortal de João Pedro Faro

O Imortal de João Pedro Faro

63- White Afro de Akosua Adoma Owusu

White Afro de Akosua Adoma Owusu

62- Escuro Horizonte de Pedro Tavares

Escuro Horizonte de Pedro Tavares

61- No Coração do Mundo de Gabriel Martins e Maurílio Martins

No Coração do Mundo de Gabriel Martins e Maurílio Martins

60- The Souvenir de Joanna Hogg

The Souvenir de Joanna Hogg

59- Não Pense que Eu Vou Gritar de Frank Beauvais

Ne croyez surtout pas que je hurle de Frank Beauvais

58- I Am Easy to Find de Mike Mills

I Am Easy to Find de Mike Mills

57- Belonging de Burak Çevik

Aidiyet de Burak Çevik

56- 唐朝綺麗男(1985,邱剛健) de Su Hui-yu

唐朝綺麗男(1985,邱剛健) de Su Hui-yu

55- The Beach Bum de Harmony Korine

The Beach Bum de Harmony Korine

54- Systemcrasher de Nora Fingscheidt

Systemsprenger de Nora Fingscheidt

53- Hiruk-pikuk si Al-kisah de Yosep Anggi Noen

Hiruk-pikuk si Al-kisah de Yosep Anggi Noen

52- Color-Blind de Ben Russell

Color-Blind de Ben Russell

51- Surrender de Caroline Kopko

Surrender de Caroline Kopko

50- De una Isla de José Luis Guerin

De una Isla de José Luis Guerin

49- Anos de Construção de Heinz Emigholz

Years of Construction de Heinz Emigholz

48- O Lago do Ganso Selvagem de Diao Yi’nan

南方车站的聚会 de Diao Yi’nan

47- Red Film de Sara Cwynar

Red Film de Sara Cwynar

46- Sophia, na primeira pessoa de Maria Andresen de Sousa Tavares e Manuel Mozos

Sophia, na primeira pessoa de Maria Andresen de Sousa Tavares e Manuel Mozos

45- Adeus à Noite de André Téchiné

L’Adieu à la nuit de André Téchiné

44- Swinguerra de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca

Swinguerra de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca

43- The New King of Comedy de Herman Yau e Stephen Chow

新喜剧之王de Herman Yau e Stephen Chow

42- John Wick 3: Parabellum de Chad Stahelski

John Wick: Chapter 3 Parabellum de Chad Stahelski

41- A Noite Amarela de Ramon Porto Mota

A Noite Amarela de Ramon Porto Mota

40- Tommaso de Abel Ferrara

Tommaso de Abel Ferrara

39- O que arde de Oliver Laxe

O que arde de Oliver Laxe

38- Lonely Rivers de Mauro Herce

Lonely Rivers de Mauro Herce

37- O Irlandês de Martin Scorsese 

The Irishman de Martin Scorsese

36- It Has to Be Lived Once and Dreamed Twice de Rainer Kohlberger

It Has to Be Lived Once and Dreamed Twice de Rainer Kohlberger

35- Acid Rain de Tomek Popakul

Bad trip na infinitude da animação.

Acid Rain de Tomek Popakul

34- Domino de Brian De Palma

Ninguém sabota o De Palma!


Domino de Brian De Palma

33- The Giverny Document (Single Channel) de Ja’Tovia Gary

De que tempo veio estas entrevistas?

The Giverny Document (Single Channel) de Ja’Tovia Gary

32- 8 Caminhos para o Colégio de Jean-Marc Boulard

O processo de pôr o texto em cena.

8 Chemin du Tracas de Jean-Marc Boulard

31- Nocturne de Viktor van der Valk

O crossover contemporâneo de Alphaville e Le Mépris na era do corte estético.

Nocturne de Viktor van der Valk

30- A Visão de Tondal de Stephen Broomer

O inferno da degradação.

Tondal’s Vision de Stephen Broomer

29- Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story by Martin Scorsese de Martin Scorsese

Uma turnê entre verdades e mitos.

Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story by Martin Scorsese de Martin Scorsese

28- O Traidor de Marco Bellocchio

O xadrez de um homem só e muitos homens no xadrez.

Il Traditore de Marco Bellocchio

27- Ceniza Verde de Pablo Mazzolo

Múltiplas figuras dentro de pequenos instantes; muita história para se contentar apenas com a ontologia.

Ceniza Verde de Pablo Mazzolo

26- Dor e Glória de Pedro Almodóvar 

Almodóvar simplificando as coisas.

Dolor y Gloria de Pedro Almodóvar 

25- Danças Macabras, Esqueletos e Outras Fantasias de Jean-Louis Schefer, Pierre Léon e Rita Azevedo Gomes

Rita Azevedo Gomes, Pierre Léon, Jean Louis Schefer e ponto.

Danses Macabres, Squelettes et Autres Fantaisies de Jean-Louis Schefer, Pierre Léon e Rita Azevedo Gomes

24- Transcript de Erica Sheu

Um poema diferente.

Transcript de Erica Sheu

23- L’île aux oiseaux de Maya Kosa e Sérgio Da Costa

Bresson no Animal Planet.

L’île aux oiseaux de Maya Kosa e Sérgio Da Costa

22- Cadê Você, Bernadette? de Richard Linklater

Onde você está indo Richard Linklater?

Where’d You Go Bernadette de Richard Linklater

21- Parasita de Bong Joon-ho

A primeira metade desse filme é uma das melhores coisas que o Bong Joon-ho já fez.

기생충 de Bong Joon-ho

20- Leyenda Dorada de Chema García Ibarra e Ion De Sosa

A graça e a melancolia de um dia de verão no clube.

Leyenda Dorada de Chema García Ibarra e Ion De Sosa

19- Nós de Jordan Peele

Um horror bem descompromissado com metáforas.

Us de Jordan Peele

18- State Funeral de Sergey Loznitsa

Um ritual que ergue-se da desolação. Perambular até surgir uma cerimônia.

State Funeral de Sergey Loznitsa

17- Martin Eden de Pietro Marcello

Uma experimentação tão própria, aleatória até, que afeta diretamente a narrativa para bem e para mal. Preciso rever, mas ficou a impressão de um filme instigante.

Martin Eden de Pietro Marcello

16- Medo Profundo 2 de Johannes Roberts

É lindo quando as inovações tecnológicas encontram diversas experimentações. Mais lindo ainda é ver um cineasta tão livre para imaginar absurdos em busca de catarses.

47 Meters Down: Uncaged de Johannes Roberts

15- Pelourinho, They Don’t Really Care About Us de Akosua Adoma Owusu

Cinema sem fronteiras de espaço e tempo.

Pelourinho, They Don’t Really Care About Us de Akosua Adoma Owusu

14- Projeto Gemini de Ang Lee

Viaje e filme os espaços da melhor maneira possível! Ainda mais se o orçamento for alto e você tiver vários clones.

Gemini Man de Ang Lee

13- O Fim da Viagem, O Começo de Tudo de Kiyoshi Kurosawa 

Stromboli mecânico.

旅のおわり世界のはじまり de Kiyoshi Kurosawa

12- Above the Rain de Ken Jacobs

Parece que o céu foi feito para a experimentação de Jacobs.

Above the Rain de Ken Jacobs

11- Uncut Gems de Benny Safdie e Josh Safdie

Já com 35 e 36 anos, os irmãos Safdies continuam como uns dos únicos cineastas com espírito jovem em atividade.

Uncut Gems de Benny Safdie e Josh Safdie

10- O Caso Richard Jewell de Clint Eastwood

Reencenar como um processo ritualístico. Uma explosão em três planos. E Eastwood retornando à busca pelo equilíbrio em personagens opostos.

Richard Jewell de Clint Eastwood

9- Sibyl de Justine Triet

O cinema no divã.

Sibyl de Justine Triet

8- Sinônimos de Nadav Lapid

Acho que o Jean Renoir de 1931-1936 (A Cadela – O Crime de Monsieur Lange) estaria fazendo algo parecido em 2019.

Synonymes de Nadav Lapid

7- Ad Astra de James Gray

O fim do espaço cênico no cinema de Gray ocorreu no espaço.

Ad Astra de James Gray

6- Fourteen de Dan Sallitt

Dentro dessa constante dialética entre controle e descontrole, Brecht e transparência, Fourteen é uma obra rígida e confortável, que remete a Rohmer e Pialat de maneira muito própria.

Fourteen de Dan Sallitt

5- Vidro de M. Night Shyamalan

Shyamalan enfrenta seu pior inimigo: o espectador que recusa a narrativa devido a falta de verossimilhança com o real, ou, o famoso “Que mentira!”.

Glass de M. Night Shyamalan

4- Era Uma Vez em… Hollywood de Quentin Tarantino

Há um desapego em deixar as entidades e ícones se tornarem experiência pelo que elas são. Robbie acordando, andando pela cidade, indo ao cinema. Pitt sem camisa no telhado, dirigindo em alta velocidade, fumando o cigarro batizado. DiCaprio fazendo as performances mais absurdas e explodindo de vez com um lança-chamas na mão. Há um interesse de Tarantino tanto nas entidades e ícones ficcionais como nas reais; tanto no ator como personagem, como no ator como ele mesmo, como no personagem como ator, como no personagem sendo outro personagem.

Once Upon a Time… in Hollywood de Quentin Tarantino

3- Puchuncaví (fragmento de 2019) de Jeannette Muñoz 

Novas perspectivas de um mesmo lugar. Novas formas de representar e experimentar. Uma metamorfose sem fim de fragmentos sempre potentes.

Puchuncaví (2019 fragment) de Jeannette Muñoz

2- Vitalina Varela de Pedro Costa

Evidências sugerem uma encenação, entretanto evidências sugerem o documento, e muitas vezes estas são as mesmas para os dois casos. Vitalina chora constantemente, e em alguns casos, as lágrimas caem nos ápices emocionais dos monólogos. Por mais certeiras que as gotas sejam em relação ao drama da cena, temos a certeza de que é sincero, talvez o mais sincero já projetado em uma tela. São nesses paradoxos que residem o enigma da câmera de Costa. É encenação, é documento, é a interseção: pura expressão.

Vitalina Varela de Pedro Costa

1- A Portuguesa de Rita Azevedo Gomes

A gênese do cinema de Rita Azevedo Gomes ocorre na perfeição do classicismo. Seu cinema já nasce perfeito, resta à diretora montar e desmontar livremente as estruturas e formas de expressão de suas histórias.

A Portuguesa de Rita Azevedo Gomes


por Gabriel Linhares Falcão

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s