Die Nordkalotte (1991) de Peter Nestler

Die Nordkalotte (1991) de Peter Nestler

O primeiro filme que vejo que consegue capturar diferentes escalas dentro de uma paisagem, ou pelo menos o primeiro que me atentou a isso. É claramente visível as dimensões das montanhas, dos lagos, do indivíduo, das manifestações culturais (que também têm sua escala),…

Uma simples pan revela os tamanhos dos elementos em relação aos outros dentro de um espaço largamente tridimensional, sem falseamentos ópticos.

A questão da escala fica ainda mais explícita nas imagens que observam a mineração. Vemos passo a passo o processo de achatamento da montanha a um minério, para depois um trem cheio de minerais passar novamente pelas montanhas e nos lembrar a escala original. Apesar do trabalho do homem ser longo e poderoso a ponto de transformar a matéria, continua sendo minúsculo. Já em outras imagens esse trabalho ganha uma dimensão catastrófica que destrói a paisagem natural.

Uma observação escalonar que atravessa o tempo com transparência, analisando materiais de arquivo tanto como história (em sua escala maior) como quanto arquivos que cabem nas mãos (em sua escala menor). 

E que filme calmo… O mundo quando capturado por inteiro é muito calmo.

por Gabriel Linhares Falcão

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s